A moral não me ajuda. Nasci antinomista.

A moral não me ajuda. Nasci antinomista. Sou dos que foram feitos para as excepções, não para as leis. Mas enquanto vejo que nada há de mal naquilo que se faz, vejo que há qualquer coisa de errado naquilo em que nos tornamos. Ainda bem que o aprendi.
A religião não me ajuda. A fé que outros têm no que é invisível tenho eu naquilo que se pode ver e tocar. Os meus deuses moram em templos feitos pelo homem e o meu credo torna-se perfeito e completo dentro do círculo dos conhecimentos actuais. Credo talvez demasiado completo, pois como muitos daqueles ou todos que colocaram o Céu nesta terra, eu encontrei nela não só a beleza do Céu mas também o horror do Inferno. Quando penso na religião sinto que gostava de fundar uma ordem para os que não podem crer. Designar-se-ia Confraria dos Órfãos. No altar, sem velas, um padre em cujo coração não morava a paz, celebraria com pão profano e com cálice sem vinho. (…)
A razão não me ajuda. Diz-me que as leis que me condenaram estão erradas e são injustas; e o sistema sob o qual tenho sofrido é errado e injusto. Mas, de qualquer forma, tenho de fazer que estas coisas se tornem justas e certas para mim. E, exactamente como na Arte, em que só nos importamos com uma determinada coisa num determinado momento, assim também acontece com a evolução moral do nosso carácter. Tenho de fazer que tudo o que aconteceu se torne num bem para mim. (…)
Não há uma única degradação do meu corpo que eu não deva tentar transformar em espiritualização da alma.

Oscar Wilde, in De Profundis

Advertisements

One thought on “A moral não me ajuda. Nasci antinomista.

  1. A pedido de muitas famílias (palminhas), aqui deixo o meu primeiro comentário a este blog. Pediram, agora aturem!

    Em primeiro lugar, há que realçar o exacerbado cuidado com a estética do mesmo. Não, eu não estou sequer a dizer que é sombrio. A incapacidade da minha retina para focar as letras cinzento escuras num fundo preto é tal que as minhas pupilas abrem-se de uma forma que os olhos parecem implodir sobre si mesmos.

    Quanto ao texto em questão, blah blah blah blah blah
    A religião e a razão não o ajudam! Era capaz de ajudar se organizasse ideias e raciocínios, não se torna a alma em espírito. E não se degrada o corpo para transformar numa outra coisa qualquer, o corpo ou funciona ou não. Quanto ao sentir, que sinta de boca calada. Ou caneta pousada…
    Joguinhos de palavras :P

    Vive la révolution!
    Hasta la victoria siempre!
    Ou não.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s