Cansa Ser

Cansa ser, sentir dói, pensar destruir.
Alheia a nós, em nós e fora,
Rui a hora, e tudo nela rui.
Inutilmente a alma o chora.

De que serve? O que é que tem que servir?
Pálido esboço leve
Do sol de inverno sobre meu leito a sorrir…
Vago sussuro breve.

Das pequenas vozes com que a manhã acorda,
Da fútil promessa do dia,
Morta ao nascer, na ‘sperança longínqua e absurda
Em que a alma se fia.

Fernando Pessoa

Advertisements

2 thoughts on “Cansa Ser

  1. A ignorância é sem dúvida uma bênção…
    A rotina volta e tentamos criar algo que nos faça levantar de manhã, mesmo que seja algo absurdo…

    Fernando Pessoa é mesmo aquela coisa >.< Cheers, future travel mate :P

    Like

  2. Cansa ser, sentir dói, pensar destruir.
    Alheia a nós, em nós e fora,
    Rui a hora, e tudo nela rui.
    Inutilmente a alma o chora.

    damn `_´ FP <3

    Este poema e’ mesmo muito bom =|

    Esse ciclo diário de desilusão com a existência é deprimente :/

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s